Oposição baiana se divide sobre julgamento de Lula

207 views

page

Apesar de ser um tema de interesse nacional, o julgamento do ex-presidente Lula pode influenciar na eleição para governador da Bahia.

Com a proximidade do julgamento do recurso movido pelo ex-presidente Lula na segunda instância, no dia 24 deste mês, parlamentares da oposição baiana se dividem sobre qual será o destino do petista nos próximos dias. Os líderes do PSDB e o DEM baianos, por exemplo, têm opiniões diferentes sobre o assunto. “Acho que ele vai ser condenado por três a zero. Existe a expectativa de que se aumente a pena dele ainda. O Brasil não suporta mais corrupção e o ex-presidente Lula, apesar de ter sido muito popular, ele criou uma organização criminosa. Institucionalizou a corrupção no Brasil. É com muita tristeza que falo isso. Ele vulgarizou a corrupção. É uma pena isso. Não só ele, como todos os envolvidos em corrupção têm que ser condenados”, afirmou o deputado federal João Gualberto (PSDB) à Tribuna.

Já o deputado federal José Carlos Aleluia (DEM) acredita que Lula deve concorrer na próxima eleição para ser derrotado no voto popular e, assim, ser limado de uma vez da política brasileira com o aval dos eleitores. “É um assunto que compete à Justiça. Como político, desejo que o ex-presidente possa competir para que seja derrotado. Ele não é imbatível e nós o derrotaremos. Se não, eles vão ficar dizendo que perderam porque não foram competir. A Justiça no Brasil é soberana”, analisou. “Gostaria de vê-lo competindo. Será uma oportunidade de mostrar que o discurso dele é um discurso que engana as pessoas e que ele levou o Brasil ao caos”, acredita o parlamentar, que vem adotando um discurso mais moderado quando questionado sobre o assunto. “Devemos confiar na Justiça. Se Lula provar a inocência, ele não será condenado”, ponderou.

O juiz Sérgio Moro condenou Lula a nove anos e seis meses de prisão pelos crimes de corrupção e de lavagem de dinheiro, que teriam sido cometidos por meio do recebimento de um apartamento tríplex no Guarujá, litoral de São Paulo. O encarceramento, no entanto, ficou designado para ser decidido pelas instâncias superiores. O PT pretende registrar o petista como candidato em 15 de agosto e entrar com todos os recursos possíveis caso ele seja condenado. Ainda em conversa com a Tribuna, João Gualberto condenou a fala da presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PT). A parlamentar disse anteontem que, para prender Lula, será necessário “matar gente”. “O PT está desmoralizando o Judiciário, a imprensa… Eles querem o anarquismo no Brasil. Falar que vai matar gente? O que é isso? Onde nós estamos? Na Venezuela ou na Coreia do Norte? Eles estão tratando o Brasil como se fosse uma republiqueta”, alfinetou.

 

Por Henrique Brinco

Print Friendly