Bahia inclui 17 municípios em novas categorias turísticas

164 views

montagem_mapa_mtur

Região do Pólo Chapada Diamantina registra avanços no desenvolvimento da economia do turismo.

O Ministério do Turismo atualizou a categorização dos municípios que compõem o Mapa do Turismo Brasileiro. Esse instrumento é importante para acompanhar o desempenho da economia do turismo e balizar políticas públicas, além de orientar o repasse de verbas federais. De acordo com a nova categorização, 17 cidades da Bahia registraram crescimento pelo setor, a exemplo de Lauro de Freitas, Mucugê, Santa Cruz Cabrália e Teixeira de Freitas. Em todas elas, foi verificado um aumento do número de empregos por meio do turismo, a ampliação dos estabelecimentos formais de hospedagem e do fluxo de visitantes domésticos e internacionais.

“A melhoria de destinos como Mucugê, cenário de várias cachoeiras do Pólo Chapada Diamantina, e Santa Cruz Cabrália, com os encantos das praias da Costa do Descobrimento, mostra que as cidades têm trabalhado para fortalecer a atividade turística. No que diz respeito ao Ministério do Turismo, estamos atentos às demandas do setor, como melhoria de infraestrutura, legalização e qualificação dos serviços”, frisa o ministro do Turismo, Marx Beltrão.

Por outro lado, seis cidades baianas tiveram redução em suas categorias, incluindo Amargosa, Camamu e Maragogipe. Importante ressaltar que a categorização é um processo dinâmico e perene que, assim como o Mapa do Turismo Brasileiro, deverá ser atualizado e aperfeiçoado periodicamente. Assim, se um município teve seu fluxo turístico e seus estabelecimentos formais de hospedagem ampliados, provavelmente, na próxima categorização, quando dados serão novamente avaliados, ele poderá mudar de posição.

APOIO DO MTUR – Com o objetivo de melhorar a infraestrutura das cidades e recuperar posições na categorização, o MTur já destinou, desde 2003, aproximadamente R$ 5,6 milhões a Amargosa, Camamu e Maragogipe para obras de reforma de praças, urbanização, revitalização de orlas e sinalização turística, entre outras iniciativas.

Segundo a portaria 39/2017 do MTur, somente municípios classificados entre ‘A’ e ‘D’ podem pleitear apoio a eventos geradores de fluxo turístico. De acordo com a nova categorização, sete cidades baianas, como Itanhém, agora na categoria ‘D’, passam a poder contar com até R$ 150 mil por ano do governo federal para a realização de festejos. Outros sete municípios, a exemplo de Mucugê, classificados como ‘C’, têm direito a um limite de R$ 400 mil. Já Lauro de Freitas, Santa Cruz Cabrália e Teixeira de Freitas, na categoria ‘B’, passam a acessar um teto de R$ 500 mil.

Todos os municípios – de A a E – estão aptos a pleitear recursos de infraestrutura, como construção de estradas e rodovias de interesse turístico; orlas e terminais fluviais, lacustres ou marítimos; reforma de terminais rodoviários intermunicipais e interestaduais, de aeroportos, ferrovias e estações férreas de interesse turístico; sinalização turística, entre outros.

A Bahia conta com 150 cidades no Mapa do Turismo Brasileiro, classificadas da seguinte maneira: A (04), B (19), C (31), D (85) e E (11).

Print Friendly